quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Guerra Perdida

O dia amanhece
A noite anoitece
O tempo escorre
E a vida acontece

O pulso pulsa
Até segunda ordem
Você repulsa
E começa a desordem

Lute e perca
O sono eterno assusta
Aceite e perca
Você venceu a luta


Pornô Sentimentalista

É engraçado. Muitas vezes, você tem tudo para amar alguém, mas não ama. Pelo menos não da forma que deveria. É estranho, pois você simplesmente não consegue amar, por mais que você queira. Sem lógica? Sim. Sem sentido? Não. Loucura? Talvez.

Mas isso machuca. Você sabe que está machucando outra pessoa. Pessoa essa que você ama! Não da forma que deveria, mas ama. Ou você fode, ou você se fode, não é assim que costuma ser? Só que nesse caso, você está sendo fodido por estar fodendo. Nossa, isso já virou um filme pornô. As vezes a vida tem dessas coisas. Esses filmes pornôs sentimentalistas. Muitas vezes a pessoa que poderia ser aquela pessoa, não é. Por mais que se esforce, tente, persista. O que não é pra ser, não será. Não podemos montar um quebra cabeça com peça iguais.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Liberdade

Voar para longe;
Fugir como um pássaro;
Sair da prisão;
Tirar férias do trabalho.

O desejo mais almejado,
O desejo mais obscuro,
O desejo mais complicado,
O desejo mais necessário.

Aquele incompreendido,
Aquele julgado,
Aquele tão sonhado,
Aquele desejo chamado liberdade.

Para Sempre Nós.

E é sobre a solidão. E é como eu sou a maior prova de que ela existe, de que ela dói. O exemplo passado para se entender o que é algo. Solidão sou eu. Eu e meus pensamentos; eu e meus delírios; eu e meu coração, apenas eu. Rodeada por aqueles que convivem comigo, porém só, no profundo poço de meus sentimentos. Têm todos, e tem eu. Tem a felicidade e a solidão, digo, eu. E estou aqui, cercada pelo nada.

Doce e amarga, minha companhia. Nos damos tão bem que acho que nunca vamos nos separar. Uma bela e trágica história de amor. Ou será de ódio? Solidão, por que percorre meu caminho fazendo alimentar-me de ti, fazendo-me necessitar de sua desgraça convincente? Hora problema, hora solução. O que será de mim sem ti? O que será de mim com ti? Solidão e eu, para sempre nós.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Mas obviamente, eu não sou.

E eu queria ser um passarinho
Para voar até você
E te observar
Da manha até o anoitecer.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Tortura diária.

É muito raro uma lembrança me confortar, seja boa ou não. Se é lembrança, memória, acabou, está no passado. As ruins, me fazem reviver momentos horríveis. O positivo da lembrança, é o aprendizado que elas trazem consigo. E talvez, por mais torturantes que elas sejam, eu não quero viver sem elas. Elas são o que sou, e por mais que não goste de quem sou, não saberia viver se eu não fosse assim.
       
Lembranças ou memórias (passado) e a morte, são as únicas coisas que não mudam. Por isso doem tanto. Nunca vão acabar. Sendo que é relativo, pois mesmo que seja a mesma lembrança, ela nunca será igual, sem contar que se pode ter alguma doença que envolva perda de memória. E a morte, você pode fantasiar. Afinal quantas foram as vezes que alguém já morreu e uma pessoa não quis acreditar, ignorou o fato, criou uma outra vida dentro da própria mente? O passado é algo assustadoramente incrível.

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

O que eu quero.

E eu quero gritar. Quero me apaixonar, desapaixonar e me apaixonar outra vez. E quero ser amada, quero poder ser amada, quero amar. Quero atenção, quero carinho, quero colo. Quero ter alguma coisa para fazer e quero ter nada para fazer. Quero ser. Ser a atriz da novela, do filme, da série. Quero ser a modelo da revista, minha cantora favorita, qualquer um que não sou, só para ser eu. Quero comer e beber. Quero, quem sabe, fumar. Quero café. Quero sexo. Quero rir, quero chorar, quero sonhar, quero brincar, quero fantasiar. Quero usar salto alto e maquiagem. Quero usar tênis ou uma rasteira. Quero usar vestido ou calça. E talvez, calça e vestido. Quero pular, quero dormir, quero me divertir, quero lembrar e esquecer, quero escrever, quero ler, quero arrumar. Quero viver.

domingo, 8 de setembro de 2013

Lágrimas não choradas

Tudo estava triste. E eu já não tinha mais tristeza para chorar. Me desacostumei com isso. Sempre a mesma agonia. E eu precisava de alguém apenas para dizer que tudo ficaria bem. E eu entrei em seu abraço, mergulhei em seus braços. Tímidas lágrimas começaram a brotar. Elas não se atreveriam a cair. Não naquela hora, não naquela situação. Fostes apenas um anjo sem asas que me resgatou. Que me permitiu com que a tristeza esvaísse, mas eu não permiti. Minhas lágrimas são minhas, ninguém deve ver minha dor. Ninguém precisa disso. Não sou digna de fazer isso com alguém. São apenas de minha autoria, e eu que tenho que sofre-las. Eu que tenho que mata-las.
       
Minhas receosas angústias queriam cair, mas eu não deixava. E nem deixarei. Voltem para seu lugar, fiquem em meu coração. Mesmo que eu precise, não apareça mais em minha vida. Se aparecer, que volte rapidamente. Vou engoli-las como sempre fiz. Vou ignorar sua presente necessidade. Que saia apenas para olhar a vida e me esvaziar, quando tudo estiver deserto. Mas voltem. Voltem e se prendam. Não sejam cruéis, não se esforcem, não insistam. Nada adiantará. Porque vocês estão presas, não merecem ser soltas. Eu não mereço solta-las.

sábado, 31 de agosto de 2013

Movimentos de uma vida.

O vento sopra
os pássaros voam.

A maré enche
os peixes nadam.

O tempo passa
a vida acontece.

Mais uma de amor.

Para muitos, em uma história de amor, é necessário começo, meio e um final feliz. Precisa acontecer da forma mais poética possível. Com um acaso, um suspense, um felizes para sempre, um drama, e quem sabe, uma comédia. Para mim, tudo que uma história de amor precisa ter, é amor.

E você, o que acha?

Há quem diga que um coração vazio é melhor que um coração partido. Tenho minhas dúvidas… Em minha concepção, um coração vazio, nunca está realmente vazio. Sempre está cheio de mágoas e cicatrizes.
A diferença entre eles, é que o partido, volta seu sofrimento para o amor, ao contrário do vazio, que tem várias dores para se ocupar. A perda de alguém, ou a perda de si mesmo? O que é mais cruel? Quem sabe, eu saiba que o amor nunca dura, o que talvez, não seja uma coisa muito boa de se saber. 

domingo, 11 de agosto de 2013

Minha Doce Solidão

Caminhei pelas entranhas de minha mente, tentando entender o mais sombrio espaço. Sai andando e me deparei com fantasmas e assombrações de uma alma marcada. "Que lugar escuro", pensei. Revestido por ilusões desiludidas e sonhos enfraquecidos. E como sempre, sozinha eu estava, andando no meu próprio território desconhecido. Entrei no circo dos horrores e fiquei, me senti em casa.
   
Não estou reclamando ou lamuriando, apenas constatando um fato. A solidão está comigo. Ela e eu. Para tudo o que eu quiser, preciso batalhar, as coisas não costumam vir fáceis para mim, mas para sair dessa doce "enrascada", não tenho nada ou por quem lutar. Somos só nós, até eu encontrar, de novo, alguém que valha a pena meu esforço, alguém que me faça acreditar novamente em tudo que desacreditei. Minha companheira e eu, até a luz voltar a bater nos recônditos mais sórdidos de meu coração. Até que formamos um belo par.

Um Crime Quase Perfeito

E em um beijo roubei o coração de uma garota, com belas frases mergulhadas em falsos sentimentos, roubei o sono de outra, e em uma noite roubei a alma de mais alguma. Eu era um perfeito ladrão,  tão bom que ninguém desconfiava. Além de corações, noites de sono e almas, havia roubada a inocência, a dignidade, o orgulho a tranquilidade, a auto-estima e a felicidade. Eu era um ladrão de vidas. Roubava para tentar adquirir o que eu não tinha.

Um dia, conheci uma garota sem vida. Não tinha mais o que roubar, tudo o que era dela, era ela. E eu me encantei como um culpado indo em direção à prisão. Me instiguei com essa bela mulher sem beleza. Como poderia alguém não cair em meus truques mais fatais? Eu precisava entender. Fui atrás, experimentei a mais envolvente língua, utilizei a frases mais bem formuladas- que pela primeira vez eram reais- e aproveitei do mais seduzente corpo de alma vazia. E então eu me dei conta: o feitiço se virou contra o feiticeiro. Cai em minha própria armadilha, senti o gosto de veneno em minha boca.
     
E aquela garota que conheci na noite mais normal de todas, roubou o que eu não tinha e devolveu o que eu não quis. Roubou minha vida e me fez vivo.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Sentimento Intraduzível

Procuro palavras para traduzir esses meus sentimentos confusos. Elas sempre fogem de mim, como um ladrão foge da polícia. E então engulo tudo, fazendo um nó em minha garganta. Revirando meu estômago, enquanto passo as noites tentando não me engasgar com o que tenho por dizer.

E agora minha cabeça dói e minha alma é dilacerada. E em meu olhar carrego a verdade, que é tapada pelo meu sorriso envenenado. Vou morrendo cada vez que faço usod esse veneno. Não posso mais viver assim; ninguém pode, ou melhor, ninguém deveria poder.
     
Sociedade maldita. Lembranças amaldiçoadas assombram meus pensamentos, giram em torno de mim. Querem me mostrara verdade que eu me recuso a ver de novo. Querem me fazer viver sem o sangue correndo em minhas veias.

domingo, 21 de julho de 2013

Era uma vez...

Onde está aquela princesa?
Está lutando como uma guerreira,
com uma espada na mão,
contra um exercito armado.

Onde está seu príncepe encantado?
Está fugindo como um covarde,
sem nenhuma responsabilidade,
procurando riquezas sem valor.

Onde está seu castelo?
Em ruínas que sobraram das guerras,
sendo reformado com materiais de baixa qualidade,
só esperando para ser ser destruido novamente.

Onde está sua plebe fiel?
Revoltada contra mim,
dei um passo incerto,
me traíram por um erro.

Onde está seu mundo perfeito?
Esse já não existe,
assim como a princesa, o príncipe, o castelo e a plebe,
isso já virou lembrança…

Apenas isso.

É impressionante a velocidade com que as coisas mudam. Amizades podem se desfazer de um dia para o outro, amores podem acabar do dia para noite, para um coração estar em pedaços, basta ver o que não devia; para seu humor mudar, basta ouvir uma música; para se despencar de chorar, basta simples palavras. Nada dorme igual ao que acordou, nada termina como começou. Sua felicidade é passageira, e por sorte, suas tristezas não são fixas. Cuidado, esse seu “amor eterno" ou sua “amizade para sempre" pode não existir até o fim do ano.
      
Você cresce e muda. Você cresce e é obrigado a mudar. As coisas mudam, seus pais mudam, a matéria na escola muda, os amigos mudam, as músicas mudam, tudo muda, mas mesmo assim você é escravo do passado. Mesmo assim você sente falta das coisas como eram antes, porque antes… Antes era tudo melhor, mais gostoso e mais fácil. Antes, você era mais feliz.

Questão de escolha.

Eu posso me desesperar, ou manter o controle; eu posso me acabar em lágrimas ou pôr um sorriso na cara; eu posso me abalar com tudo e nada, ou me manter forte. É tudo questão de escolha, pois quem faz minha vida sou eu. Eu decido o que fazer com ela, eu decido como agir diante dela. E os problemas são apenas barreiras, posso destruí-los, dar a volta ou passar por cima, tanto faz, o que importa é que posso enfrenta-los. Pra que me abater se lá fora os problemas são tão maiores? Faço das dificuldades, experiências. Se quer aprender, não vá para a escola, simplesmente viva.
      
Você pode cair, mas terá que se levantar. Se tens um problema, és forte o suficiente para enfrenta-lo. Fique pra baixo, fique mal, triste, desesperançoso, mas não desista. Regresse quantas vezes for, mas tente. Um a hora você vai, uma hora você consegue. Tudo só depende de você. Mantenha o foco e viva.

sábado, 20 de julho de 2013

Distância de um amor.

Distância. Ela é torturante. Não adianta falar que não machuca. Não se pode evitar o inevitável. Quando a vontade se espalha em seu peito, exala o desejo mais almejado. Sentir o toque, o cheiro. Simplesmente ver, saber que é real. Tudo o que se quer, é o que não se pode ter. E a incerteza fica no ar, o cheiro da inconstância flutua aos arredores e a dúvida paira sobre nossa cabeças. O futuro é perturbado pelo presente e em minha mente o certo vira errado. Morta nos sentimentos fervorosos e congelados, viva por essa contradição. O que fazer quando nada se pode fazer?

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Lembranças de um coração.

E eu ainda sinto você comigo,
sinto suas mãos nas minhas,
sua boca macia,
e seu cheiro no meu dia a dia.

Você que me levou ao céu,
me apresentou o inferno.
Roubou minha vida,
e me fez sentir viva.

Não quero mexer no que já foi sentido,
mas quero sentir o que já foi mexido.
Apenas uma briga
de meu passado e meus sentidos.

Você é minha droga,
sofri uma overdose
não posso mais usar.
É preciso aguentar.

Já não te tenho como antes,
tudo acabou,
mas o final,
ainda não chegou.


Começo de um fim.

E quando tudo acaba, o que nos resta? Um vazio. Sentimentos congelados prendendo-nos a uma vida que já não existe. As coisas chegam ao fim, mas as memórias não. E a dor que elas trazem consigo, me parece tão insuportável. Quando o final acaba?

O que sobra? As lembranças. Lembranças e a morte. Essa que agora parece tão tentadora. Uma escolha e vivemos para sempre com ela. Nós duas, até a eternidade. A vida passa a ser dela. Passa a se inexistente. Bela morte, você que escorre por minha boca, indo em bora de meu corpo desesperado, de minha alma depredada. Esta viva melancolia está tão ligada a minha mente perturbada.

domingo, 7 de julho de 2013

Meus desenhos perdidos do "Hora de Aventura"!

Triste, eu perdi todos... Só tenho as fotos...! Pelo menos isso, né... 

Jake :3

Marceline :3

Princesa Jujuba :3

Finn :3



Doce morte.

Qual é a cara da morte? Ao olhar no espelho, temos essa resposta. A morte é apenas uma consequência de nossas escolhas, que é do que somos feitos. Escolhas. Todos nós somos suicidas, consciente ou inconscientemente; aos poucos ou em um único ato de desespero. Nós fazemos nossa morte.
Você resolve ir por um caminho, mas quem disse que nele não tem um assassino? Você escolheu ir por lá, você fez sua morte, você é a morte.


Apenas observe.

Olhe para uma pipa no céu. Observe-a bailar com o destino. Perceba como ela segue o tempo. Uma pipa está sempre presa a algo o alguém. Ela voa tranquilamente como se não existisse problemas, mas ela sabe que a qualquer momento pode ficar presa entre os galhos de uma árvore, o vento pode parar de soprar, deixando-a cair. Contudo ela continua no céu, bailando com o destino, correndo todos os riscos, exibindo seus movimentos com júbilo e audácia, nunca deixando se abater.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Jovem Morte.

       Gabrielle era uma menina simples, sorridente e simpática. Tinha cabelos curtos e olhos castanhos, 22 anos, uma jovem normal e feliz, algumas angustias, mas alguém para compartilha-las: dentro de alguns meses se casaria. Todo os dias acordava exatamente as 7:30 da manha, tomava um café com leite e se arrumava para sair. Todos os dias ela descia os 10 andares de seu prédio para comprar um jornal e lê-lo sentada na praça, como se estivesse em um filme antigo. E naquele dia não foi diferente. Eis então que a mocinha se depara com a seguinte manchete no jornal: “Jovem de 19 anos morre com uma bala perdida em seu peito". Ao ler a reportagem, descobriu que o menino estava indo para sua faculdade no momento, que só estava fazendo tudo o que sempre fazia diariamente, soube também que o autor do crime não havia sido preso, a policia estava tentando descobrir quem era o assassino. A menina ficou pensando “Mas que injustiça! Ele estava indo estudar, indo viver sua vida, quando um maldito resolve atirar! Quando um maldito acha que está no direito de tirar a vida de alguém e sair ileso! E sair, como se nada tivesse acontecido! E se o rapaz tivesse namorada, e se estava noivo?! E as provas que ele tinha pra fazer, e o almoço de domingo em que sua avó ia cozinhar, e o aniversário da priminha que ele não vai poder ir, e as viagens que ele ia fazer, e o café que deixou de tomar, e os filhos que não vai ter, e a vida que deixou de viver?! Como a morte é injusta! Em uma hora você está bem, na outra, você está morto!".
       A mulher se levantou indignada e saiu andando, estava a caminho de sua casa, precisava se arrumar para o trabalho, quando de repente a mulher cai no chão. Tudo o que ouviu-se foi o som de um disparo e Gabrielle já havia caído. Havia um médico no local, mas nada salvou a vida da menina. E na manha seguinte sai na manchete do jornal: “Nova vítima! Jovem de 22 anos morre com bala perdida." A moça tinha razão, a morte é muito injusta.

sábado, 22 de junho de 2013

Um desabafo sobre a escola.

É necessário educação. É extremamente necessário educação, contudo as escolas não ensinam, apenas passam instruções de como se resolver um problema matemático, de como se escrever sem erros gramaticais e coisas do gênero. Sim, isso é importante. Mas é ainda mais necessário ensinar-se a pensar. Os colégios deveriam criar seres pensantes, ao invés de zumbis ambulantes. A escola não te mostra suas opções de caminho e te orienta qual você deve seguir. Ela manda você seguir um. Se você não conseguir segui-lo, problema seu.
       
Ela humilha, reprime, estressa. Cutuca exatamente seu ponto fraco, aquilo em que você é pior. E se você não melhorar, isso lhe acarretará consequências para o resto de sua vida. Simplesmente, esquece das coisas em que você é bom, e visa o que tens de ruim. Causa uma desnecessária pressão, acima do comum. Não são todas, mas a maioria.

Não dite um caminho, ensine a seguir o melhor.

Em qual esquina dessa vida, está você?

Não é como sentir falta de algo que nunca aconteceu. É sentir falta de algo que nunca aconteceu. É não poder te ter, não poder te proteger. E eu me sinto mal por isso. Eu te queria do meu lado agora. Queria que você estivesse deitado em meu colo, e então eu faria cafuné em você com uma mão, e na outra estaria segurando a sua e de tempo em tempo beijaria sua boca. Seria tão bom. Realmente bom. Mas não posso, não podemos.
      
E me dói tanto ao saber o quão mal está. Se eu pudesse, eu tomava todas as suas dores pra mim, só pra te ver sorrindo. Eu faria isso, faria mesmo. Mas tudo bem, um dia, por mais que eu não tome suas dores, vou poder te proteger. Te abraçar, te beijar, te sentir. Tenho esperança de que eu vou poder fazer tudo isso. Um dia essa distância, vai acabar. Como, mesmo tão longe, você consegue estar comigo o tempo todo? Todos os dias eu olho o céu, no desejo de saber onde você está. Um dia eu te encontro. E como diria Renato Russo, "Aonde está você agora além de aqui, dentro de mim?". E nesses quilômetros de distância, onde você se escondeu?

terça-feira, 11 de junho de 2013

Só eu que vejo?

Algo não faz sentido. Vejo garotas desmaiando de fome em busca do corpo perfeito, vejo garotos quebrando regras e corações para parecer o machão. Só eu que vejo? Isso não é normal! Como pode ser tratado como natural garotas grávidas aos 14?!
        
Isso está errado. Andando na rua vejo um mendigo na calçada e quando olho para o lado vejo um cara com seu carrão importado. Algo está errado! O jogador ganhando um milhão e o trabalhador um salário mínimo. Eu vejo crianças morrendo de fome por não ter um pão!
       
De um lado para o outro eu vejo o caos que isso se tornou. Homens de ternos ocupados e consumidos pela ganância, idosos abandonados, pulsos cortados, adolescentes procurando clínicas de aborto ilegais, garotas esqueléticas vomitando a comida, meninos se drogando e crianças bebendo. Para onde vamos se a população está sem rumo? Para onde vamos se o único sonho existente é o sonho em sonhar?
       
Caminhando pela calçado vejo uma multidão olhando para o alto: um homem vai tentar suicídio. Lá de cima ele grita “Vocês estão loucos? Pode ter certeza, o doente aqui não sou eu!”, e ele tem razão! Estamos conseguindo nos destruir e ninguém percebe; estamos nos matando e ninguém liga! Nós, seres humanos, somos tão estúpidos que estamos conseguindo acabar com nós mesmos. Usamos nossa inteligência como a maior arma de destruição em massa. Isso é burrice!
      
Os sonhos estão se esgotando… O sangue daqueles que tem esperança está escorrendo por entre meus dedos. Alguém me diz como fazer a diferença? As crianças estão chorando, os adolescentes perdidos, adultos cegos e idosos feridos. E agora o que fazer quando se dá para contar as almas que querem fazer o bem? E então o que fazer, quando só me resta esperar por dias melhores?

Tente ver.

Um grito silencioso, uma lágrima sorridente, um gato que arranhou, água na boca pelo gosto do nada, olhos vermelhos pelo sono. Apenas um visível pedido de socorro que faz questão de se esconder. Uma verdade estampada nos olhos, tapada por um sorriso.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Estrelinha Solitária

Estrelinha solitária no céu, não chores por ser a única nesse mar negro, teu brilho és o que o clareia, és o que encanta os olhos de quem olha para cima. Estrelinha solitária, és tão especial a ponto de ser a única visível nessa imensidão. Estrelinha solitária, tu não és tão só quanto pensa, tu tens o coração daquele que olha para ti, daquele que quis voar até você quando te viu. Estrelinha não tão solitária no céu, quando eu morrer que ser igual a você.

Meus Amigos Passarinhos

E eu ouvi os pássaros cantando. É como se eles me chamassem, gritassem meu nome. Mas não consigo entender o que eles querer dizer. Não consigo. E seus belos cantos, soam como ruídos em meus ouvidos. Está tudo embaralhado. Eu tento segui-los, mas não consigo. Logo o som se dissipa no ar. Eu tento chegar até eles antes que não reste mais nada. Mas não consigo, é tarde demais. O silêncio volta, e por mais que eu tenha tentado sair, continuo no mesmo lugar. E é ai que eu entendo… Tudo fica claro, agora eu consigo entender! Eles estavam realmente me chamando! Queriam que eu voasse junto a eles, mas eu estou aqui. E é aqui que irei ficar… Queira eu, ou não.