quinta-feira, 18 de julho de 2013

Começo de um fim.

E quando tudo acaba, o que nos resta? Um vazio. Sentimentos congelados prendendo-nos a uma vida que já não existe. As coisas chegam ao fim, mas as memórias não. E a dor que elas trazem consigo, me parece tão insuportável. Quando o final acaba?

O que sobra? As lembranças. Lembranças e a morte. Essa que agora parece tão tentadora. Uma escolha e vivemos para sempre com ela. Nós duas, até a eternidade. A vida passa a ser dela. Passa a se inexistente. Bela morte, você que escorre por minha boca, indo em bora de meu corpo desesperado, de minha alma depredada. Esta viva melancolia está tão ligada a minha mente perturbada.