sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Ar.

Estou afogada na nostalgia, meus pulmões se enchem de nada. Tudo me rodeando, os pensamentos inflam em minha cabeça e sinto que em breve irei desmaiar. É absurdo como isso foi acontecer, ou melhor, como isso foi deixar de acontecer. Nada satisfaz, nada acalma, nada é o suficiente. Pura e simples ausência. Vazio. Minha pele sendo esfolada e o sangue escorrendo pelo resto de corpo que tenho. Assassinato ou suicídio? Seja o que for, friamente calculado com todos os sentimentos possíveis. Tortura. Uma doce e cruel tortura. O fim do mundo dentro de si.